Alejandro Valeiko não sabe quem matou engenheiro Flávio

Cotidiano

Perguntado após deixar a sede do 19º DIP nesta quinta-feira (5) para realizar exames médicos, Alejandro disse que ‘não viu’ quem matou o engenheiro.

Indiciado pelo homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos, Alejandro Valeiko alegou nesta quinta-feira (5) que não sabe quem cometeu o crime. “Não vi”, disse. A declaração foi feita enquanto ele deixava a sede do 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP) – onde está preso desde outubro – para passar por exames médicos.

Flávio Rodrigues dos Santos foi encontrado morto no bairro Tarumã, na Zona Oeste de Manaus, horas após participar de uma festa na casa de Alejandro Valeiko. Seis homens chegaram a ser presos, e cinco pessoas foram indiciados pelo crime.

Outros cinco suspeitos foram detidos, mas dois deles tiveram liberdade concedida após a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) entregar o relatório das investigações ao Ministério Público do Amazonas (MPAM).

Além de Valeiko, cinco pessoas foram presas suspeitas de terem participação no crime:

Elizeu da Paz, indiciado pela polícia pelo crime de homicídio;
Mayc Parede, também indiciado por homicídio;
Vittorio Del Gatto, indiciado por omissão. Ele chegou a ser preso, mas teve liberdade concedida por problemas de saúde;
José Edvandro Martins de Souza Junior, 31 anos, que foi solto nesta sexta-feira (29);
Elielton Magno de Menezes Gomes Junior, 22, também solto nesta sexta;

Paola Valeiko chega à DEHS para conversar com a polícia — Foto: Orlando Júnior/Rede Amazônica

A irmã de Alejandro, Paola Valeiko, também foi indiciada por fraude processual após confirmar que limpou a cena do crime.

Após o indiciamento, cabe ao MP-AM a decisão de oferecer denúncia contra eles na Justiça.

O homicídio do engenheiro Flávio Rodrigues dos Santos ocorreu na noite do dia 29 de setembro após uma festa na casa do enteado do prefeito de Manaus, Alejandro Molina Valeiko. O corpo da vítima foi encontrado no dia seguinte no bairro Tarumã, na Zona Oeste de Manaus.

A Polícia Civil realizou, no dia 18 de novembro, a reconstituição do crime. Por cerca de cinco horas, os seis suspeitos e investigadores estiveram na casa de Alejandro Valeiko. Em seguida, a polícia afirmou já conhecer o autor do crime.

Fonte. G1 Am

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *