UEA reúne pesquisadores que avaliarão a eficácia de medicação para pé diabético no Brasil

A UEA, em parceria com a Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ), é um dos 13 centros de pesquisa de referência do estudo multicêntrico brasileiro coordenado pela Fiocruz.

Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes no biênio 2017/2018 estimam que mais de 80 mil amputações serão realizadas no Brasil em pacientes portadores de pé diabético. De acordo com pesquisas realizadas no Brasil, a diabetes mellitus (DM) tipo 2 coloca o país entre os quatro primeiros em relação à prevalência de DM em nível mundial.

Em meio a essa realidade, a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) colocou, na manhã desta segunda-feira (18), o Amazonas como o 13º centro de pesquisa do estudo multicêntrico “Avaliação da eficácia e segurança do fator de crescimento epidérmico recombinante (FCEhr) intralesional em participantes com úlcera de pé diabético no Brasil” e ajudará a atingir o objetivo da pesquisa de avaliar a resposta do medicamento Heberprot® em pacientes portadores de pé diabético.

De acordo o reitor da UEA, Cleinaldo Costa, essa é uma forma da Universidade contribuir com a validação de uma pesquisa extremamente importante tanto para a população amazonense quanto para o Brasil. “Guilherme Pita e Jackson Caiafa são dois professores de referência internacional que estarão aqui participando da qualificação dos profissionais do Amazonas. Dessa maneira vamos salvar vidas e prevenir amputações por meio da prevenção e do tratamento precoce do pé diabético, o que é uma preocupação e uma prioridade de gestão manifestada pelo nosso Secretário de Saúde e Vice-Governador Carlos Almeida Filho”, enfatizou Costa.

Sabrina Henriques, coordenadora do estudo patrocinado pelo Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos da Fundação Oswaldo Cruz (Bio-Manguinhos/Fiocruz), destaca a participação da UEA no desenvolvimento da pesquisa em todo o país. “O Amazonas está sendo representado por meio da UEA, através da solicitação da reitoria para conduzir o estudo no estado. Ao todo cerca de 304 pacientes receberão o tratamento por entidades e profissionais envolvidos na pesquisa”, explicou a coordenadora informando que o estudo será realizado em pacientes da Fundação Hospital Adriano Jorge, unidade de saúde vinculada à Secretaria de Estado de Saúde (Susam).

Segundo Rosane Will, membro da equipe de monitoria da Bio-Manguinhos/Fiocruz, a adesão da equipe local no projeto, que já está em implantação em vários estados brasileiros, é um grande sinalizador da responsabilidade e do compromisso social que este projeto possui. “O paciente diabético em Manaus é uma preocupação que nos sensibiliza enquanto gestores e um problema social que merece uma atenção especial, por se tratar de uma proporção bastante significativa na sociedade”, destacou.

Para o diretor do Instituto Leônidas & Maria Deane ILMD/Fiocruz Amazônia, Sérgio Luiz Bessa Luz, este é um momento satisfatório onde as instituições envolvidas podem articular soluções para um problema comum na saúde pública. “A integração da UEA, FHAJ e Fiocruz tem uma importância fundamental na capacitação dos profissionais de saúde que atuam nos estudos, que vão transformar ciência em prática para benefício da população”.

Até quarta-feira (20), a equipe de monitoria, coordenação médico-cientifica e a coordenação do estudo realizará o treinamento dos profissionais que executarão o ensaio clínico. A programação acontece na Universidade Aberta do Sistema Único de Saúde (UNA-SUS), localizada na Praça General Carneiro, 2.106, Cachoeirinha.

Desde o ano 2015, a UEA realiza o Simpósio Multidisciplinar do Pé Diabético. A iniciativa da Universidade está de acordo com a preocupação em superar os problemas e desafios que a doença provoca em pacientes e ganhará ainda mais força com essa nova medida que a Universidade adota em parceria com a FHAJ e Fiocruz.

Sobre o Heberprot®
O Heberprot® é uma medicação com princípio ativo fator de crescimento epidérmico humano recombinante, injetável, intralesional para tratamento de úlceras de pé diabético. O detentor desta tecnologia e parceiro da Bio-Manguinhos/Fiocruz neste estudo clínico é o Centro de Ingeneria Genetica e Biotecnologia de Cuba (CIGB/Cuba). Com a aprovação deste medicamento, a Bio-Manguinhos/Fiocruz espera contribuir com o Sistema Único de Saúde (SUS). A associação tem condições de produzi-lo em suas dependências, sintetizando o custo para a saúde pública e diminuindo os números de amputações por pé diabético no Brasil.

Números na região norte preocupam
Segundo o Ministério da Saúde (MS) as maiores taxas de mortalidade por diabetes, aumentam de acordo com o crescimento da faixa etária. O que significa que a diabetes será responsável por cerca 21,8% da causa de morte de entre os idosos de 60 anos ou mais na região norte.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) apontam que 16 milhões de brasileiros sofrem de diabetes. Ainda de acordo com o estudo, a taxa de incidência da doença cresceu 61,8% nos últimos dez anos. A melhor forma de prevenir a doença é praticando atividades físicas regularmente, mantendo uma alimentação saudável e evitando consumo de álcool, tabaco e outras drogas.

 

 

 

 

Fonte. Mirineia Nascimento – Ascom UEA
Foto. Mirineia Nascimento – Ascom UEA


Redação Portal do Norte

Redação Portal do Norte

Manaus, Amazonas, Amazônia, Brasil, Comunicação, Imprensa, Notícias..
Redação Portal do Norte

 

Manaus, Amazonas, Amazônia, Brasil, Comunicação, Imprensa, Notícias..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *