Feministas organizam manifestação pelo fim da violência às mulheres em Manaus

Cidadania

Ato aconteceu neste sábado (7), no Largo São Sebastião; manifestação faz parte de um movimento internacional que estourou no Chile e vem se espalhando em outros países

Com os olhos vendados, um grupo de feministas se reuniu na tarde deste sábado (7), no Largo São Sebastião (Centro), para pedir o fim da violência às mulheres. A iniciativa veio do grupo de mulheres 8M, que reúne os demais coletivos da capital e da região metropolitana. A manifestação faz parte dos 16 dias de ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres.

Embora os casos de estupro tenham registrado uma queda de 15% em Manaus, de acordo com os dados da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM) os números ainda são alarmantes. De janeiro a março, foram notificados, à polícia, 345 casos deste crime sexual na capital amazonense, 60 a menos que em igual período do ano passado.

Neste final de semana, quatro homens foram presos em flagrante, em Tefé, após estuprarem uma mulher que, segundo os policiais, estava desacordada e com sintomas de coma alcoólico. Os suspeitos, com idades entre 18 a 33 anos, foram presos em flagrante e foram conduzidos ao prédio da Delegacia Interativa de Polícia (DIP) de Tefé.

A eclosão de um manifesto
A letra é acompanhada por uma coreografia repetida por manifestantes vendadas com um tecido preto. “E a culpa não era minha /Nem onde estava /Nem o que vestia.”

Com um momento emblemático em que as mulheres apontam para a frente e cantam “o estuprador é você”, a intervenção virou hino de protestos contra o feminicídio e a violência contra a mulher
ao redor do mundo.

Criada pelo coletivo chileno Las Tesis, a performance começou em Valparaíso, em 20 de novembro. O intuito era estrear no Dia Internacional do Combate à Violência Contra a Mulher, em 25 de novembro, mas elas adiantaram a apresentação devido a denúncias de abusos durante os protestos que tomam as ruas do Chile desde 18 de outubro.

Rapidamente, a canção e a coreografia do Las Tesis tomaram o mundo. Em menos de 48 horas, a música foi adaptada para o francês e vista também em Londres, Buenos Aires e Cidade do México. Há ainda vídeos gravados em Sydney, na Austrália, e Madri.

Por Redação / com informações da Folha de SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *