Comissão discute pagamento antecipado de terceirizados da saúde

Assembleia Legislativa convocou empresas que prestam serviço e o Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Saúde Estado do Amazonas (Sindpriv-AM)

Uma reunião técnica convocada para esta sexta-feira (8), pela Comissão de Saúde da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), com as empresas que prestam serviços para a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam) e o Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Saúde Estado do Amazonas (Sindpriv-AM), resultou na formulação de uma proposta para antecipar o pagamento dos salários atrasados dos trabalhadores terceirizados da saúde.

A proposta, que será levada ao Governo e à Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) para ser estudada e, se aprovada, transformada em acordo, prevê a antecipação das datas do pagamento dos salários, já definidas, de 29/11 a primeira parcela e 27/12 a segunda, para as datas de 20/11 e 20/12. A remarcação de datas teve como fundamentos principais o atraso de até 6 meses de algumas empresas, o que deixa famílias no limite de sua subsistência e os festejos de Natal.

Presente à reunião, a vice-presidente da Aleam, deputada Alessandra Campêlo (MDB) esclareceu que não se tratou de uma reunião com a Sefaz, nem com a Susam, e nem com o governo. “Na verdade a comissão quis entender, junto com o Sindicato,empresa a empresa, para deixar clara a situação de pagamentos e de atrasos que vem acontecendo com os trabalhadores terceirizados da saúde”, argumentou.

Na reunião, segundo a deputada Alessandra, foi constatado que há várias empresas que estão com os salários em dia; que há empresas com bloqueios judiciais, ou seja, quando o dinheiro da Susam é repassado fica bloqueado pela justiça; e ainda que há empresas com atrasos, umas por problemas de atraso do Estado, outras por problemas de atraso da empresa. Mas no geral, o Estado está com pagamento em dias com quase todas as empresas, uma vez que os recursos tem prazo de até 90 dias para serem repassados.

O deputado Dermilson Chagas (PP) disse que a base do governo vai levar ao secretário da Fazenda, Alex Del Giglio, a proposta que foi feita, onde o governo vai pagar o que já acordou, de pagar 3,5 competências, e as empresas acordam pagar 4 competências, ou quatro meses, nas duas datas antecipadas, incluindo o 13º salário. A efetivação dessa proposta vai depender do aceno positivo do secretário de Fazenda, para se resolver o pagamento dos terceirizados da saúde.

A presidente do Sindipriv, Graciete Mouzinho, disse que o sindicato entende que o problema é mais das empresas que do governo, mas lamentou que seja apenas uma proposta, e que seria melhor se já tivesse sido um acordo. Segundo ela, o sindicato irá pedir a falência das empresas que não estão cumprindo o acordo, o bloqueio das contas e penalização jurídica para que o governo as retire das licitações.

Questionada a respeito da possibilidade de punições para as empresas caso não cumpram o pagamento dos salários, a presidente da Comissão de Saúde, deputada Dra. Mayara Reis (PP), disse que o próprio Sindicato já se posicionou no sentido de judicializar a questão, e com isso o Estado ganhará o respaldo para não deixar que essas empresas concorram mais em licitações do governo. Participaram da reunião as deputadas Alessandra Campêlo, Dra. Mayara Reis, Joana Darc (PL), e os deputados Dr. Gomes (PSC) e Dermilson Chagas.


Redação Portal do Norte

Redação Portal do Norte

Manaus, Amazonas, Amazônia, Brasil, Comunicação, Imprensa, Notícias..
Redação Portal do Norte

 

Manaus, Amazonas, Amazônia, Brasil, Comunicação, Imprensa, Notícias..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *