Policial fere médico ao confundi-lo com assaltante

Fato expõe a letalidade policial no Amazonas que, entre 2018 e 2019, subiu para 325%

Por volta das 21h desta segunda-feira (4), o médico ortopedista Marcelo Brito, que atende os pacientes do Hospital e Pronto-Socorro Infantil da Zona Leste, o “Joãozinho”, foi baleado no estacionamento da unidade de saúde. Um suposto policial a paisana confundiu a vítima com um ladrão de carros e ela acabou sendo baleada nas costas. Após os disparos, houve correria e pânico entre os pacientes e acompanhantes que estavam na área externa da unidade.

Segundo a Polícia, a confusão ocorreu porque, na manhã de ontem, um carro modelo HB20, de cor branca, foi roubado no bairro Japiim, zona Sul de Manaus. O suspeito estaria utilizando o veículo para fazer arrastões na capital. Segundo a guarnição que atendeu a ocorrência afirmou que o carro do médico, que pertenceria a um fisioterapeuta do mesmo hospital, possui as características do veículo roubado

Aumento da letalidade policial
O Amazonas teve um aumento de 325%, de 2018 a 2019. A Secretaria de Segurança Pública diz que “os óbitos por autos de resistência decorrem de situações em que a vida do policial é posta em risco durante o combate direto com suspeitos de crimes, em situações de flagrante do ato criminoso nas quais os infratores resistem à ordem de prisão e tentam ceifar a vida dos policiais”.

Em agosto, Thalia Oliveira, uma universitária de 18 anos, morreu após ser baleada por um policial militar durante uma blitz em Rio Preto da Eva, a 83 km de Manaus. Segundo familiares, a jovem retornava para casa com um amigo em uma motocicleta quando foi abordada por dois policiais militares. O tiro foi disparado por um sargento.

“O PM diz que atirou para cima, para que o motociclista parasse, mas quem é que atira para cima e acerta na cabeça da pessoa? Isso para mim é considerado como execução. Não tem nada de erro”, conta Thalisson Gabriel, irmão da vítima.
Segundo a Polícia Militar, o sargento foi afastado das atividades para que a conduta seja investigada.

Corregedoria apura
A Corregedoria-Geral do Sistema de Segurança Pública informa que abriu sindicância administrativa para apurar a conduta de investigador da Polícia Civil, que atirou em um veículo no estacionamento do Hospital e Pronto-Socorro (HPS) Dr. João Lúcio Machado. A ocorrência foi registrada na noite de segunda-feira (04/11). Conforme Boletim de Ocorrência registrado no 14º Distrito Integrado de Polícia (DIP), uma mulher de 33 anos informou ter presenciado o fato. Ela afirmou que havia ido buscar uma receita de um médico de 56 anos e que, durante o percurso no estacionamento do Hospital, ouviu disparos de arma de fogo e percebeu que haviam sido feitos contra o veículo que ela dirigia.

 

Por Redação / pautaportal@gmail.com


Redação Portal do Norte

Redação Portal do Norte

Manaus, Amazonas, Amazônia, Brasil, Comunicação, Imprensa, Notícias..
Redação Portal do Norte

 

Manaus, Amazonas, Amazônia, Brasil, Comunicação, Imprensa, Notícias..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *