Alejandro Valeiko afirma que Elizeu da Paz matou engenheiro Flávio

Cotidiano

A declaração foi concedida na chegada ao 19º DIP. Primeiramente, Alejandro disse à polícia que não sabia quem matou Flávio. Durante o Inquérito Policial, o lutador de MMA Mayc Vinicus assumiu a autoria do homicídio

Alejandro Molina Valeiko, 30 anos, afirmou que o sargento da Polícia Militar do Amazonas (PMAM), Elizeu da Paz, matou o engenheiro Flávio Rodrigues, 42 anos. A declaração foi concedida à TV A Crítica na chegada do suspeito ao 19º Distrito Integrado de Polícia (DIP) após passar por Audiência de Custódia no Fórum Ministro Henoch da Silva Reis, na Zona Centro-Sul de Manaus, na manhã desta segunda-feira (2).

Durante o Inquérito Policial (IP) apurado pela Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Alejandro disse não saber quem matou Flávio, encontrado morto no dia 30 de outubro em um terreno no Tarumã, na Zona Oeste da capital.  A declaração de hoje contrapõe o que foi dito pelo lutador de MMA, Mayc Vinicius, que assumiu no dia 9 de novembro a autoria do homicídio do engenheiro.

Após deixar hoje audiência de custódia, Alejandro retornou para cela no 19° DIP. Além de apontar Da Paz como autor do crime, Alejandro considera uma “injustiça” o fato de estar preso. “Eu acho uma injustiça. É isso o que eu acho”.

Essa é a segunda vez que Alejandro aponta o sargento Elizeu da Paz, que atuava como segurança do suspeito, como alguém que de fato pode ter cometido o crime. Segundo Alejadro, o sargento é alguem “capaz de matar”, e que durante as visitas que fazia na residência, situada em um condomínio de luxo na Ponta Negra, Zona Oeste da capital, o segurança “queria mandar na casa”.

Posicionamento
Em nota, a Central de Inquéritos do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) informou que, atendendo pedido da defesa do filho da primeira-dama, a juíza responsável pelo processo, Lina Marie Cabral, realizou a audiência de custódia do referido indiciado que, na última sexta-feira (29), teve a prisão temporária convertida em prisão preventiva, situação que se manteve inalterada após a audiência.

No Termo de Audiência de Alejandro, a juíza estendeu aos indiciados Elizeu da Paz de Souza e Mayc Teixeira Parede – que também tiveram a prisão temporária convertida em preventiva na última sexta -, o direito de passar pelo mesmo procedimento (audiência de custódia). As defesas de ambos tomarão ciência da decisão no processo, após o que será designada a data das referidas audiências.

Fonte. A Crítica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *