Sistema de combate a incêndios do Teatro Amazonas será modernizado a partir de janeiro de 2020

Um dos marcos históricos da capital amazonense, o Teatro Amazonas vai passar por serviços de adequação e modernização dos sistemas de combate a incêndio, pânico e proteção a descargas atmosféricas. Com a licitação concluída, as obras devem ser iniciadas em janeiro de 2020, totalizando um investimento de R$ 2,1 milhões, viabilizados a partir da parceria entre o Governo do Amazonas, por meio da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa, e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

As obras serão realizadas pela Construtora Biapó Ltda. e visam a aprimorar os sistemas de proteção do prédio, que é Patrimônio Cultural do Brasil, preservando a arquitetura neoclássica e a memória da chamada Belle Époque amazônica. Com prazo de conclusão de quatro meses, os serviços serão executados durante período em que o Teatro não terá agenda de espetáculos. Ajustes nos horários de visitação turística do espaço serão informadas ao público previamente, quando necessários.

Adequando o teatro aos requisitos de renovação do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros do Amazonas, as obras no sistema de incêndio incluem a instalação de alarme e mecanismo de detecção de foto e fumaça via wireless (sem fio). Também será feita adequação da casa de bombas, instalação de exaustão de gases e ventilação forçada, além da instalação do chamado fire ball – dispositivo extintor de incêndios com acionamento automático quando em contato com o fogo. O projeto prevê ainda a implantação de iluminação de emergência e recuperação das demolições ao final.

“A ação tem o objetivo de prevenir o início de incêndio no teatro e, com isso, salvaguardar as pessoas e o próprio patrimônio, incluindo seu interior e seus objetos tombados juntamente com o conjunto arquitetônico”, explica a superintendente do Iphan-AM, Karla Bitar. “Com a modernização, no caso da existência de incêndio, esse o sistema vai poder combater de forma eficaz. Hoje existe um sistema, mas não tem toda a eficiência necessária”.

Nas instalações elétricas do edifício, serão realizadas revisões dos circuitos, com substituição de cabos elétricos, interruptores, tomadas e perfilados. As intervenções preveem a instalação e adequação de quadros de energia, além da mudança dos disjuntores por modelos mais modernos e, ainda, adequação de cabeamento das ligações elétricas. Por fim, as intervenções incluem o melhoramento do Sistema de Proteção contra Descargas Atmosféricas (SPDA): instalação de novo para-raios, manutenção do sistema de captação de descarga e adequação do subsistema de aterramento.

“O Teatro Amazonas é ícone cultural do nosso estado, e nos tranquiliza saber que estamos fazendo aquilo que é necessário para preservá-lo. Essa ação é resultado de uma parceria muito feliz com o Iphan e foi possível porque já estávamos com esse projeto de modernização pronto quando solicitado”, destaca o secretário estadual de Cultura e Economia Criativa, Marcos Apolo Muniz.

O investimento de mais de R$ 2 milhões para a atualização tecnológica do sistema de combate a incêndio do Teatro Amazonas foi anunciado pelo então secretário especial de Cultura, Henrique Medeiros Pires, durante o encontro “Os Teatros de Ópera e a Economia Criativa na América Latina”, no Festival Amazonas de Ópera, em maio deste ano. “Quando o Fundo de Defesa de Direitos Difusos abriu o edital, o projeto feito pela equipe técnica da Secretaria de Cultura do Amazonas já estava pronto, foi submetido via Iphan e contemplado”, afirmou Pires, na ocasião.

Teatro Amazonas
Inaugurado em 1896, o Teatro Amazonas se tornou o maior símbolo do chamado ciclo da borracha, quando a crescente demanda internacional por látex conferiu à região a posição de maior fornecedora mundial do produto, tornando Manaus (AM) e Belém (PA) entrepostos comerciais. Pelos rios, seringueiros extraíam o látex; nas cidades, as elites se inspiravam na cultura francesa do final do século XIX para imprimir importantes mudanças urbanas e culturais: período que ficou conhecido como a Belle Époque amazônica.

“Em virtude de todo esse reconhecimento excepcional do teatro, uma obra relevante do período áureo da borracha, ele foi o primeiro bem tombado pelo Iphan no Estado do Amazonas”, assinala a superintendente do Iphan-AM, Karla Bitar. “O prédio retrata o interesse da sociedade amazonense pelas artes e cultura naquele período. E hoje é palco de eventos importantes, como o Festival Amazonas de Ópera, que é referência mundial. São muitos os motivos que revelam sua importância para o Amazonas. É a casa de espetáculos do amazonense”.

Para receber companhias de espetáculos de outros países e atender à demanda da elite da borracha, o Teatro Amazonas foi concebido a partir do projeto arquitetônico do Gabinete Português de Engenharia e Arquitetura de Lisboa.

Tombado pelo Iphan em 1966, o teatro é hoje um dos bens de maior destaque do Patrimônio Cultural amazonense e mais importante casa de espetáculos do estado. Durante todo o ano, são promovidas programações culturais, quando os espectadores têm oportunidade de se aproximar dos detalhes arquitetônicos e artísticos da edificação, além de ver de perto um dos episódios da História amazônica.

O Teatro Amazonas também está aberto à visita guiada, na qual é possível contemplar os salões e museus que o espaço abriga, com informações históricas. A visitação turística acontece de terça-feira a sábado, das 9h às 17h, e, aos domingos, das 9h às 14h. A entrada custa R$ 20 (inteira). Amazonenses não pagam (necessário apresentar documento com foto que comprove a naturalidade).

Fonte – Secom Am
Fotos – Michael Dantas


Redação Portal do Norte

Redação Portal do Norte

Manaus, Amazonas, Amazônia, Brasil, Comunicação, Imprensa, Notícias..
Redação Portal do Norte

 

Manaus, Amazonas, Amazônia, Brasil, Comunicação, Imprensa, Notícias..

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *