You are currently viewing Manauaras ganham diversas exposições fotográficas no Centro Histórico

Manauaras ganham diversas exposições fotográficas no Centro Histórico

Com quatro novas exposições este mês de fevereiro a Secretaria de Estado de Cultura (SEC) abre mostras que ficam disponíveis ao público até o fim de junho, com entrada gratuita, em diferentes espaços administrados pelo Governo do Amazonas. Na terça-feira (19/2) abriu a visitação da exposição “Novamao”, que segue até 26 de maio, no Centro Cultural Palácio Rio Negro (avenida Sete de Setembro, 1546, centro). São 19 obras, de seis artistas locais da nova geração: Caroline Sheik, Davi Baima, Juliana Mascarin, Márcio Matias, Natusiela e Willian Sarkis.

De acordo com o diretor de Museus da SEC, Turenko Beça, a secretaria prioriza, nessa mostra, a revelação de novos talentos. “Existem muitos artistas da nova geração produzindo no Amazonas. Ano passado, mais de 300 artistas de 40 municípios tiveram a oportunidade de expor suas obras, a maioria composta por novos talentos’’, explica Turenko.

O Palácio Rio Negro é outro espaço que fica aberto ao público pode conferir exposição. A visitação é aberta de terça-feira a sábado, das 9h às 17h, e aos domingos, das 9h às 14h.

Alegria à Flor da Pele

A partir do próximo sábado (23/2) até o dia 26 de abril, a Casa das Artes (rua José Clemente, 564, centro (atrás da Santa Casa) estará exibindo a exposição fotográfica “Alegria à Flor da Pele”. Com fotografias de Carlos Navarro, Selma Maia, Cleomir Santos e Tácio Melo, a mostra reúne registros dos carnavais de rua de Manaus.

“O fotojornalismo consegue congelar e imortalizar essa festa popular e o momento em que pessoas e ritmos se misturam para viver dias fora da rotina, resgatar partes da nossa história, valorizar as raízes e os talentos artísticos’’, conta Sandra Praia, curadora do evento. O horário de visitação da Casa das Artes é de terça-feira a domingo, das 15h às 21h. A classificação da exposição é de 16 anos.

A Última Canção

A exposição fotográfica “A Última Canção” ficará disponível a partir dia 26 de fevereiro até 17 de abril, no Museu de Imagem e Som do Amazonas (Misam), localizado no Palacete Provincial (Praça Heliodoro Balbi, centro), prédio histórico do Governo do Estado.

A mostra é inspirada na história da violinista Ária Ramos, que morreu após ser atingida por uma bala perdida, durante um baile de Carnaval no Ideal Clube, em 1915. Nas fotos, Ária é representada pela modelo Gabriella Nunes, em imagens registradas pelos fotógrafos Cecy Procópio, Tácio Melo, Thaís Tabosa e Rodrigo Tomzhinsky. Os momentos, abordados de forma poética, são a vida, o talento e a morte de Ária.

De acordo com Tácio Melo, fotógrafo e idealizador da exposição, o projeto começou a ser concebido em 2012. “A ideia inicial era de produção de um curta-metragem com o título ‘A Última Valsa’. Porém, por ser um projeto caro para executar na época, criei e dei o título de ‘A Última Canção’, em um formato de ensaio fotográfico, com uma linguagem mais moderna e poética sobre a história da violinista’’, relata.

A exposição teve início em 2016, no Museu do Paço da Liberdade, com o apoio da Fundação Municipal de Cultura e Turismo (Manauscult). A mostra fica disponível para visita durante o horário de funcionamento do Palacete Provincial, de terça a sexta-feira, das 9h às 17h, e aos sábados e domingos, das 9h às 14h. A classificação é livre.

Lugares Que o Dia Não Me Deixa Ver

Do dia 28 de fevereiro até o dia 30 de junho, o Centro Cultural Usina Chaminé (avenida Lourenço da Silva Braga, centro), da SEC, estará com a exposição “Lugares Que o Dia Não Me Deixa Ver”, composta por 12 imagens de Ruth Jucá.

A exposição retrata o projeto de mesmo nome, desenvolvido por João Fernandes, diretor da Companhia de Ideia, e que consistiu em iluminar os prédios históricos abandonados para promover apresentações artísticas nesses locais, chamando a atenção para o problema. “O projeto surgiu a partir de João Fernandes ao ver o abandono dos patrimônios públicos sendo destruídos pelo tempo”, destaca Ruth Jucá. O horário de visitação da Usina Chaminé é de segunda-feira a sábado, das 9h às 17h, e a classificação da mostra é livre.

 

 

Fonte. Ascom SEC
Fotos. Divulgação – Ascom SEC


Redação Portal do Norte

Manaus, Amazonas, Amazônia, Brasil, Comunicação, Imprensa, Notícias..

Redação Portal do Norte

Manaus, Amazonas, Amazônia, Brasil, Comunicação, Imprensa, Notícias..

Deixe um comentário