Inconformismo machista gera violência doméstica e feminicídio

Ex-maridos e ex-namorados inconformados com o término do relacionamento causam a maioria das queixas por perturbação da tranquilidade contra mulheres, em Manaus, segundo a Delegacia Especializada em Crimes contra a Mulher (DECCM). Até maio deste ano, foram 1.495 queixas pela contravenção penal, que também decorre de conflitos familiares e brigas de vizinho.

Segundo a titular da DECCM, delegada Débora Mafra, em alguns casos, a perturbação pode ser enquadrada como crime de violência doméstica. Com isso, o autor pode responder a inquérito e até ser preso em flagrante.

“Ocorre na sociedade em geral, mas a maioria dos casos é dentro de casa, pela falta de respeito de um familiar a outro. Ex-namorados e ex-maridos são os agentes mais comuns”, disse Mafra.

Inconformismo com o fim do relacionamento, brigas entre pessoas da mesma família e na vizinhança embasam a maioria das denúncias que chega à polícia. Telefonemas e mensagens impertinentes e outras condutas que representem riscos às vítimas podem justificar o registro do Boletim de Ocorrência. Em casos envolvendo ex-companheiros, a perturbação está ligada, na maioria das vezes, a tentativa de reatar o relacionamento, a recusa em aceitar que a mulher tenha outro companheiro ou simplesmente que queira ficar só.

“As mulheres são as maiores vítimas e esses atos são combinados com violência doméstica em que cabe inquérito e flagrante. Geralmente, o agressor quer atormentar a vítima de maneira a controlar as ações dela. O perfil deste tipo de agressor é de manipulador e controlador. Ele coloca música alta, fica ligando e enviando mensagens, fica perseguindo a vítima”, enfatizou.

Considerada contravenção penal, a perturbação da tranquilidade prevê prisão de 15 dias a dois meses ou multa. “A perturbação é todo ato que, de maneira reprovável, gera incômodo. O tipo penal compreende dois aspectos: o ataque da tranquilidade e o modo como isso ocorre. A tranquilidade é um bem de toda a pessoa”, salientou.

 

 

 

Fonte. Ascom SSP-AM
Foto. Erickson Andrade – SSP-AM

 


Redação Portal do Norte

Redação Portal do Norte

Manaus, Amazonas, Amazônia, Brasil, Comunicação, Imprensa, Notícias..
Redação Portal do Norte

 

Manaus, Amazonas, Amazônia, Brasil, Comunicação, Imprensa, Notícias..

One thought on “Inconformismo machista gera violência doméstica e feminicídio

  1. Precisamos quebrar o machismo estrutural que existe em nossa sociedade. E esse compromisso passa por uma escola púbica de qualidade, com uma formação moral e ética familiar que assegure a igualdade de direitos e obrigações entre meninos e meninas e com a exigência do fim de práticas discriminatórias em todos os setores da sociedade. O feminismo não é o contrário do machismo. O Feminismo é a luta pela igualdade de direitos entre os gêneros. O contrário do machismo é a inteligência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *