Artigo: Sobre a desumanidade de zombar da morte alheia

Artigo: Sobre a desumanidade de zombar da morte alheia

João Batista Nascimento é palestrante, escritor, professor universitário, especialista em Processo Penal, mestre em Ciências Jurídicas e doutorando em Direito Penal.

Manaus revive tempos antigos onde programas de televisão bizarros proliferavam na telinha, proporcionando espetáculos tão absurdos que chegávamos a duvidar dos números cavalares de audiência divulgados. Suportamos hoje uma situação insuportável de crescimento da violência, que atinge desde o cidadão comum até os membros das forças de segurança pública.Na medida em que faltam políticas públicas tendentes à redução das desigualdades sociais, mecanismo propulsor da criminalidade, sobram medidas policialescas, pirotécnicas, circenses e, obviamente inúteis. Paralelo a isso, o papel da mídia é fundamental para informar, formar opiniões e se colocar ao lado da sociedade, cobrando e denunciando das autoridades que cumpram.com suas obrigações. Nossa vida depende disso.
Fazer chacota e palhaçadas com o quadro de violência que nos massacra é irresponsável, desumano e preconceituoso. Canais de comunicação devem informar e não celebrar atos de violência, pouco importando quem seja seu autor. Devemos repudiar, enquanto seres dotados de um mínimo de humanidade, que se tente fazer piadas e chacota com estratégias cotidianas, o que revela uma doentia satisfação pelo sofrimento e morte de seres humanos.
Violência até pode ser combatida com violência. Mas, de forma excepcional, nunca como primeira ferramenta a ser utilizada por agentes públicos. Comemorar a morte de pessoas não faz de você somente um palhaço a ser questionado. Faz de você um péssimo e deprimente ser humano.

 

 


Redação Portal do Norte

Manaus, Amazonas, Amazônia, Brasil, Comunicação, Imprensa, Notícias..

Redação Portal do Norte

Manaus, Amazonas, Amazônia, Brasil, Comunicação, Imprensa, Notícias..

Deixe uma resposta