Jornalistas e radialistas protestam contra MP/905 que extingue 14 profissões

Jornalistas e radialistas protestam contra MP/905 que extingue 14 profissões

Ação será na sede do Sindicato dos Jornalistas e reunirá também sociólogos, artistas, estudantes e outras categorias

Nesta quarta-feira (4), a partir das 8h na sede do Sindicato dos Jornalistas do Amazonas (SJPAM), profissionais da comunicação (jornalistas, radialistas, publicitários) sociólogos, artistas estudantes se reúnem para o ato contra a Medida Provisória 905/2019, editada pelo Governo Federal em 11 de novembro e que extingue o registro profissional de 14 categorias. O SJPAM está localizado na Praça Santos Dumont, 15 – Centro.

Desde a publicação da MP, jornalistas, radialistas, publicitários e sociólogos têm recebido o apoio de outras categorias como a Ordem dos Advogados (OAB) e da bancada estadual e federal. Dentre os representantes do Amazonas que já se manifestaram contra a Medida Provisória 905, estão os parlamentares Marcelo Ramos, José Ricardo, Sidney Leite, Bosco Saraiva, Silas Câmara, Atila Lins e o senador Plínio Valério.

“Eu fiz questão de participar da Comissão Mista que vai analisar a MP905, que acaba com a nossa profissão. Eu fiz isso, como uma forma de dizer a vocês a mim mesmo, que vou fazer o possível e o impossível para que isso não se concretize. Se Deus quiser a gente vai conseguir impedir, sim”, acredita Plínio Valério que também é jornalista.

Carta Aberta
Em uma Carta Aberta a toda sociedade amazonense contra a MP905, profissionais do jornalismo, radialistas, publicitários, sociólogos e demais categorias de trabalhadores que perderam o direito ao Registro Profissional, denunciam as consequências nefastas dessa MP para toda sociedade.

De acordo com o documento, o que está em jogo é o direito de toda a sociedade de ser atendida por um profissional qualificado, registrado e passível de responder por possíveis erros. Sem registro, não há como fiscalizar e, denunciar possíveis irregularidades.

O governo federal também acaba com o estágio. Se não há profissional, não há estagiário. Este será substituído por um trabalhador “verde e amarelo”, que vai cumprir jornada de trabalho sem limite, sem direito a FGTS, sem 13º salário e sem férias. Trabalhador sim, mas sem direitos, como na escravidão.

A MP905 sacrifica milhares de profissionais e ilude os mais jovens, com a farsa do contrato “verde amarelo”. Sem direitos e que dura apenas dois anos. Nossos jovens se tornarão mão de obra barata, sem perspectivas de futuro.
Os profissionais da comunicação e demais categorias questionam e alertam: “Quantos sonhos estão sendo destruídos? O seu sonho de ter uma profissão. O sonho de cada pai e cada mãe de ver seu filho formado, para ter uma vida melhor. Com esta Medida Provisória, o governo federal nos rouba o direito de sonhar”.

Tribuna popular
A Câmara Municipal de Manaus (CMM) realiza nesta quarta-feira (4), às 9h, uma Tribuna Popular para discutir as consequências da Medida Provisória 905. A audiência pública ocorrerá no Auditório Zany dos Reis, segundo andar da CMM – Rua Padre Agostinho Caballero Martin, 850, Santo Antonio.

A tribuna foi proposta pelo vereador Elias Emanuel (PSDB) e contará com a presença da presidente do Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado do Amazonas, Auxiliadora Tupinambá, o presidente do Sindicato dos Radialistas do Estado do Amazonas, Paulo Guerra e Francinézio Lima do Amaral, dirigente do Sindicato dos Sociólogos e representantes da sociedade civil organizada.

Por que a MP 905/2019 é um crime contra o trabalhador?
1. Aumenta a jornada de trabalho para todos os trabalhadores;
2. Facilita a demissão de trabalhadores e estimula a informalidade (retira o registro, fiscalização e punição);
3. Reduz o valor da contribuição patronal do FGTS para o trabalhador de 8% para 2%;
4. Trabalhadores que receberem o seguro-desemprego terão que pagar 7,5% para a contribuição da Previdência (os empresários estão isentos);
5. Trabalho aos domingos e feriados sem pagamento em dobro;
6. Promove negociação individual colocando o trabalhador como um David frente ao Golias (empresários);
7. Retira o sindicato (os trabalhadores) das negociações de PLR (Participação nos Lucros e Resultados);
8. Dificulta a fiscalização do trabalho, inclusive em situações de risco para o trabalhador;
9. Altera a regra para concessão do auxílio-acidente. Ao invés de 50% sobre o salário do trabalhador passa a ser de 50% sobre o salário do benefício de aposentadoria por invalidez;
10. Institui multas para o trabalhador por infrações trabalhistas;
11. Revoga 86 itens da CLT como direitos e medidas de proteção ao trabalho (segurança e medicina do trabalho);
12. Acaba com o estágio das profissões.

Profissões atingidas: Jornalista; Radialista; Publicitário; Agenciador de propaganda; Sociólogo; Arquivista; Artista; Estatístico; Secretário; Corretor de seguros; Guardador de carros; Lavador de veículos; Técnico em espetáculo de diversões; Técnico em segurança do trabalho.

#MP905Não #RespeiteaMinhaProfissão


Redação Portal do Norte

Manaus, Amazonas, Amazônia, Brasil, Comunicação, Imprensa, Notícias..

Redação Portal do Norte

Manaus, Amazonas, Amazônia, Brasil, Comunicação, Imprensa, Notícias..

Este post tem um comentário

Deixe uma resposta