Artigo. Recados das pesquisas eleitorais

Carlos Santiago é Sociólogo, Analista Político e Advogado.

No primeiro turno das eleições gerais de 2018, as pesquisas eleitorais erraram vários resultados, num pleito caracterizado por renovações legislativas e por vitórias surpreendentes de candidatos aos cargos do Poder Executivo. Porém, a pesquisa eleitoral possui metodologia própria e autorização legal para aferir a vontade do eleitor(a). Nas últimas semanas, foram divulgadas duas pesquisas eleitorais para prefeito de Manaus que merecem análises e comentários.

A pesquisa do Instituto DMP/Rede Tiradentes revelou que o ex-governador Amazonino Mendes (sem partido) tem 26% da preferência do eleitorado; o ex-presidente da Assembleia Legislativa, Davi Almeida (Avante), ficou com 18%; o deputado federal José Ricardo (PT-AM) alcançou 6%; e o deputado Federal Alberto Neto ( PRP) obteve, 5%. Os demais candidatos obtiveram desempenho abaixo dos cinco por cento: Alfredo Nascimento, 4%; Marcos Rotta 3%; Conceição Sampaio, 3%; Serafim Correa, 3%; Josué Neto, 3%; Chico Preto, 2%; Vanessa Grazziotin, 2%; Hissa Abrão, 1%. Romero Reis, Fausto Júnior e Felipe Souza não foram citados.

Ela mostrou ainda que Amazonino Mendes subiu 5 pontos percentuais, Davi Almeida subiu 3 pontos e o José Ricardo caiu 8 pontos, quando se compara o resultado com uma pesquisa feita em 2019, pela mesma empresa. Outro dado: os primeiros colocados no quesito rejeição, são: Amazonino Mendes, 15%; Alfredo Nascimento, 14%; Vanessa, 9%; Serafim Correa, 8%; Davi Almeida, 5%; Henrique Oliveira, 5%.

Simulações de segundo turno indicam que Amazonino Mendes venceria seus principais adversário: Amazonino, 39% x Davi Almeida, 35%; Amazonino, 47% X Rotta, 18%; Amazonino, 49% X Hissa, 17%; Amazonino, 46% X José Ricardo, 21%.

O Instituto Pontual também trouxe números da pesquisa que realizou. Numa sondagem estimulada: Amazonino sobressai com 29,2% das intenções de votos; David Almeida gravou 14,8%; José Ricardo ficou com 6,3%; o capitão Alberto Neto obteve 5% da preferência.

Outros postulantes emplacaram menos de cinco pontos percentuais: Marcos Rotta, 4,2%; Alfredo Nascimento, 3,7%; Serafim Corrêa (PSB), 3,5%; Josué Neto com 3,4%; Hissa Abrahão, 2,6%; Conceição Sampaio, 2,5%; a ex-senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB), 2,2%; Chico Preto, 0,9%; Bosco Saraiva (SD), 6%; Romero Reis (Novo), 0,3%.

Os destacados com índices de rejeições: Vanessa Grazziotin, 17%; Alfredo, 13,6%; Amazonino, 12,1%. O Instituto Pontual não publicou simulações de um possível segundo turno.

Diante dos números das pesquisas, avaliamos:
A. Os postulantes próximos dos governos e até quem detém mandatos legislativos (federal, estadual e municipal) estão com dificuldades de crescimento nas pesquisas: Conceição Sampaio, Alberto Neto, Marcos Rotta; Chico Preto, Felipe Souza e Josué Neto, dentre outros;
B. Não há (até o momento) qualquer decisão do eleitor (a) de polarizar as eleições entre petistas X bolsonaristas. Vide desempenho de Romero Reis, de Chico Preto, de capitão Alberto, de Josué Neto e de José Ricardo;
C. O crescimento dos nomes de Amazonino e de David Almeida é a negação dos atuais governantes e dos que detém cargos legislativos e também da rivalidade entre petistas X bolsonaristas;
D. Ao petista José Ricardo o eleitor mandou mensagem: o amor ao petismo, ao lulismo e à luta contra o governo Bolsonaro somente reforçam a ideologia partidária, que, no atual quadro eleitoral, só engessa e não se amplia. O povo quer soluções para os problemas de Manaus.

Estamos longe das eleições. O quadro político eleitoral vai passar por inúmeras mudanças e é sempre oportuno e inteligente uma análise das pesquisas eleitorais e dos sentimentos dos eleitores.

Avatar

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *