Confronto de cruzeirenses tem detidos e mais de 30 socorridos

Esportes

Clube perde para o Palmeiras e cai pela 1ª vez para a Série B do Brasileiro

A partida entre o Cruzeiro e o Palmeiras, no Mineirão, neste domingo (8), nem chegou a terminar. Com o time perdendo por 2 a 0, o que significava o rebaixamento inédito para a Série B do Campeonato Brasileiro, a torcida cruzeirense começou uma confusão na arquibancada.

Houve até explosão de bombas, e o jogo foi finalizado aos 39 minutos do segundo tempo. Segundo a Polícia Militar, quatro pessoas foram detidas. Ao todo, 32 torcedores foram socorridos. Três foram feridos pelos objetos arremessados dentro do estádio e encaminhados para o Hospital João 23, em Belo Horizonte.

Com sete vitórias em 38 jogos, o Cruzeiro viveu um ano de reflexos da crise fora de campo —disputas internas na diretoria, dívida crescente, salários atrasados e investigação policial— e foi cobrado pela torcida.

Um vídeo que circulou nas redes sociais uma semana antes do encerramento do campeonato mostrava torcedores conversando com o presidente Wagner Pires de Sá e fazendo ameaças ao elenco caso a queda para a série B fosse confirmada.

O time celeste precisava vencer o Palmeiras e torcer por uma derrota do Ceará, em jogo contra o Botafogo, que terminou empatado em 1 a 1.  Durante a partida no Mineirão, o canto “Cruzeiro guerreiro/Cruzeiro, meu amor” embalou o início do primeiro tempo. Uma das faixas colocada nas organizadas pedia: “Joguem com raça!”.

Além de estar em casa, o Cruzeiro jogou com torcida única. O clube fez o pedido à Justiça alegando questões de segurança pela rivalidade com o Palmeiras e o histórico de violência entre as torcidas. O Mineirão tem capacidade para 62 mil pessoas, mas o clube reservou apenas 40 mil ingressos para a torcida. Acabou recebendo 27.229 pessoas.

Leia mais aqui

Fonte. Folha de SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *