Moro e Guedes têm alta aprovação entre ricos e baixa entre pobres, diz Datafolha

Brasil

Segundo Datafolha, ministra Damares Alves é a única com maior aprovação entre pessoas com renda mais baixa

Os ministros da Justiça, Sergio Moro, e da Economia, Paulo Guedes, apresentam índices de aprovação elevados nas camadas mais ricas da população. A taxa de apoio é consideravelmente menor entre os mais pobres.

Pesquisa Datafolha feita quinta (5) e sexta-feira (6) da última semana aponta que 73% dos entrevistados com renda familiar mensal superior a dez salários mínimos (R$ 9.980) consideram a gestão de Moro ótima ou boa. A taxa vai a 63% para os que têm renda entre cinco (R$ 4.990) e dez salários mínimos, chegando a 56% na camada com renda de dois (R$ 1.996) a cinco salários.

O único estrato em que Moro é aprovado por menos da metade dos entrevistados é o de pessoas que afirmam ter rendimento familiar mensal de até dois salários mínimos. Nesse grupo, os que consideram sua gestão ótima ou boa é de 46%.

Disseram conhecer o ministro 93% dos entrevistados. Entre esses, sem recorte de renda, 53% avaliam sua gestão no ministério como ótima/boa. Outros 23% consideram regular, e 21%, ruim/péssima —3% não souberam opinar.

O chefe do Ministério da Economia, por sua vez, é aprovado por 58% dos que dizem ter renda superior a dez salários mínimos, 53% entre os que ganham de cinco a dez salários, 42% para os que recebem entre dois e cinco salários, chegando a 31% para os que recebem menos do que dois salários mínimos.

Guedes é aprovado por 39% dos entrevistados que souberam indentificá-lo —o ministro da Economia é o segundo mais conhecido.

A pesquisa ouviu 2.948 entrevistados em 176 municípios do país. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos, com nível de confiança de 95%. As entrevistas foram feitas pessoalmente, em locais de grande circulação.

O Datafolha também captou a avaliação dos entrevistados sobre a atuação de Damares Alves (Mulher, Família e Direitos Humanos), Abraham Weintraub (Educação), Ricardo Salles (Meio Ambiente), Tarcísio Gomes de Freitas (Infraestrutura) e Ernesto Araújo (Relações Exteriores).

Considerando o recorte de renda, a ministra Damares é a única que apresenta resultado inverso, com apoio menor entre as pessoas mais ricas.

A avaliação de ótimo ou bom da ministra ficou em 39% para os que ganham mais que dez salários mínimos, 43% para rendas de dois a dez salários e 42% para os que recebem menos do que dois salários mínimos.

Leia mais aqui 

Fonte. Folha de SP
Foto. Ian Cheiub/FolhaPress

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *