Saúde municipal promove ações de combate ao Aedes 

Saúde

Mesmo com o menor índice de infestação do Aedes aegypti entre os quatro Distritos de Saúde (Disas) em Manaus, a Prefeitura de Manaus mantém, a partir do Disa Oeste, a execução de ações prioritárias de combate ao mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. Uma das ações foi promovida esta semana por equipes de endemias no bairro da Paz, que no 2º Diagnóstico de Infestação do Aedes de 2019, realizado pela Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) no mês de novembro, apresentou um índice de infestação de 1,7%, o que caracterizou uma redução de 32%, comparado com o resultado de infestação de fevereiro deste ano.

De acordo com a chefe da Divisão de Vigilância em Saúde do Disa Oeste, enfermeira Rúbia Medeiros, o trabalho de controle do mosquito acontece de forma rotineira, em todos os bairros, para a prevenção às doenças. “Em novembro, o diagnóstico de infestação do Aedes aegypti mostrou que nenhum bairro da zona Oeste foi classificado como de alta vulnerabilidade para as doenças transmitidas pelo mosquito, mesmo assim várias ações já estão sendo reforçadas para reduzir cada vez mais os riscos”, afirmou Rúbia Medeiros, lembrando que, no primeiro diagnóstico de infestação de 2019, realizado em fevereiro, a zona Oeste registrou seis bairros em alta vulnerabilidade.

Pelo diagnóstico de infestação de novembro, Manaus apresenta índice de infestação de 1,9%, mantendo o município em médio risco para as doenças transmitidas pelo Aedes. Segundo o Ministério da Saúde, valores de infestação compreendidos entre 1,0% e 3,9% caracterizam médio risco, inferiores a 1% indicam índice satisfatório e acima de 4% representam alto risco. Em relação às zonas geográficas de Manaus, a zona Oeste apresentou 1,4%, o menor índice comparado com as zonas Leste (3,5%), Norte (1,6%) e Sul (1,5%).

“O Disa Oeste realizou, ao longo do ano, diversas ações de prevenção para reduzir os riscos para a população, o que incluiu o fortalecimento da parceria entre Unidades de Saúde e as Equipes da Estratégia Saúde da Família, a implantação de brigadas em escolas e instituições privadas, ações de Educação em Saúde, e maior integração com a comunidade”, informou Rúbia Medeiros.

Bairro da Paz
Durante ação realizada no bairro da Paz, com visita domiciliar e vistorias em ruas e residências, a diretora da Unidade Básica de Saúde (UBS) Bairro da Paz, Cristiane Rodrigues, destacou que os novos índices de infestação no bairro resultaram de um processo de reorganização do trabalho e intensificação da parceria com a equipe da Unidade Básica de Saúde da Família – Oeste 02, vinculada à UBS, o que fortaleceu as ações de inspeção de domicílios, de identificação de imóveis estratégicos para proliferação de focos do mosquito, da instalação de capas protetoras para tanques, de adesão ao Check List 10 Minutos contra o Aedes e da busca ativa de casos suspeitos de dengue, zika e chikungunya.

“A UBS também procurou reforçar a parceria com a população por meio dos representantes comunitários na divulgação de ações de prevenção e de sensibilização. Um dos resultados é que este ano não recebemos notificações de casos de dengue na Unidade de Saúde”, garantiu Cristiane Rodrigues.

O presidente da associação comunitária do bairro da Paz, Luiz Carlos Magalhães, também destacou a importância da parceria com a gestão das UBSs no bairro para a melhoria da saúde da população.

“Quando temos gestores que sabem trabalhar em parceria com as associações comunitárias, tudo caminha melhor. E na última reunião que tivemos com o prefeito Arthur Virgílio Neto, um ano e meio atrás, ele mesmo orientou a procurar as Unidades de Saúde, a direção de escolas, para fazer parcerias. Esse trabalho tem trazido muitos benefícios para a comunidade”, afirmou Luiz Carlos.

Alta Vulnerabilidade De 63 bairros em Manaus, dez foram considerados de alta vulnerabilidade. São eles: Jorge Teixeira, Tancredo Neves e Coroado (zona Leste); Colônia Terra Nova e Novo Aleixo (zona Norte); e Parque Dez, Chapada, Petrópolis, Japiim e São Lázaro (zona Sul).

Média vulnerabilidade são 38
Morro da Liberdade, Nossa Senhora de Aparecida, Centro, Praça 14, Cachoeirinha, Adrianópolis, Flores, Educandos, Colônia Oliveira Machado, Raiz, São Francisco, Crespo, Aleixo e Santa Luzia (zona Sul); Santo Agostinho, Lírio do Vale, Nova Esperança, Redenção, Bairro da Paz, Alvorada, Dom Pedro, São Jorge, Vila da Prata, Compensa e São Raimundo (zona Oeste); Cidade de Deus, Cidade Nova, Colônia Santo Antônio, Monte das Oliveiras, Nova Cidade e Lago Azul (zona Norte); e Mauazinho, Colônia Antônio Aleixo, Puraquequara, Armando Mendes, São José, Zumbi e Gilberto Mestrinho (zona Leste).
Baixa vulnerabilidade
Distrito Industrial I, Vila Buriti, Betânia, Presidente Vargas, Nossa Senhora das Graças e São Geraldo (zona Sul); Tarumã-Açu, Tarumã, Ponta Negra, Planalto, Glória e Santo Antônio (zona Oeste); Novo Israel e Santa Etelvina (zona Norte); e Distrito Industrial II (zona Leste).

Fonte – Semcom – PMM

Fotos – Divulgação – Semsa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *