Artigo. Fruta estranha

Carlos Santiago é Sociólogo, Analista Político e Advogado.

“Please I Can’t Breath… Please I can’t breath…”, dizia o homem negro, enquanto era sufocado e imobilizado por três policiais. A agonia e o ato assassino duraram exatamente 8 minutos e 46 segundos, tempo suficiente para ceifar uma vida e dar origem a uma grande mobilização contra o racismo. Luta dos movimentos pelos diretos civis, embalou tanto o sonho multirracial de Martin Luther King, quanto os gritos reivindicatórios de Malcolm X contra o pesadelo de segregação e maus-tratos da sociedade americana, no lema: “É o voto ou a bala…”. Entretanto, nem a cédula nem o projétil conseguiram dar cabo às diferenças raciais, sociais, de gênero, e tantas outras que assolam o mundo.

(mais…)

0 Comentários