UEA antecipa formatura de 71 médicos para combater à covid-19

Amazonas

A Universidade do Estado do Amazonas (UEA) conclui, nesta segunda-feira (20/04), a colação de grau antecipada de 71 médicos que ajudarão a reforçar os quadros da saúde durante o enfrentamento ao novo coronavírus. Além desses profissionais, a universidade já realizou, desde a última sexta-feira (17/04), a formatura de 16 acadêmicos de Farmácia e 17 de Enfermagem.
Os médicos, enfermeiros e farmacêuticos recém-formados serão absorvidos pela rede pública e ficarão à disposição das secretarias estadual e municipal de Saúde (Susam e Semsa-Manaus) por 180 dias, conforme a Resolução nº 07/2020 da UEA. Após esse período, os alunos poderão acrescentar o tempo de experiência ao histórico escolar.

É o caso da médica Maria Cláudia Noli, de 24 anos, que recebeu o diploma na manhã de hoje e assumiu o compromisso de contribuir para o enfrentamento à pandemia de Covid-19. “O momento é de muita felicidade, e nós esperamos trazer benefício para toda a população nesse momento crítico que nós todos estamos passando”, disse.

O indígena Israel Fontes Dutra, da etnia Tuyuka, também estava entre os formandos de Medicina que anteciparam a formatura. Ele é natural do distrito de Pari-Cachoeira, no município de São Gabriel da Cachoeira, e se diz preparado para devolver à sociedade tudo o que aprendeu.
“A sensação é de que é uma vitória, uma conquista, não só para mim e minha família, mas para todos os povos indígenas do Alto Rio Negro. Eu espero trabalhar na linha de frente, no consultório, atendendo os pacientes que estão chegando”, afirmou.

No início de abril, Israel Tuyuka também gravou vídeos na língua do povo Tukano para ações do programa Telessaúde da UEA com foco no novo coronavírus. As gravações, uma sobre “Prevenção” e outra com “Perguntas e Respostas”, foram distribuídas para sete Distritos Sanitários Especiais Indígenas (DSEIs) e cinco comunidades indígenas em que o Telessaúde está presente.

“A ideia partiu da dificuldade dos meus parentes mais idosos de não conseguirem entender a linguagem médica. Eles não conseguem, por exemplo, captar as informações que muitos profissionais de saúde levam para eles. Então achei legal fazer essa tradução para que eles entendessem melhor”, explicou Israel.

Norma federal – A antecipação das formaturas foi possível graças à Medida Provisória nº 934, de 1º de abril de 2020, que autorizou as Instituições de Ensino Superior a abreviar a duração dos cursos de Medicina, Farmácia, Enfermagem e Fisioterapia, excepcionalmente para enfrentamento da pandemia de Covid-19. O requisito é que o estudante tenha cumprido a carga horária mínima de 75% do estágio curricular obrigatório ou do internato.


Foto. Michell Melo – Secom-AM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *